O PLÁSTICO MATA A FAUNA MARINHA

A vida sem canudos de plástico em São Sebastião

Toninha mortaÉ para chocar mesmo. A imagem ao lado é de uma toninha – uma espécie de golfinho de pequeno porte comum no litoral paulista – que foi encontrada morta este ano por que não podia se alimentar por causa de um anel plástico que lacrou a sua boca.
 
Segundo a imprensa, o mamífero foi encontrado já morto com sinais de desnutrição. Também foi feita uma autópsia do animal que revelou que seu estômago e intestino também continham pedaços de plásticos. O veterinário da ONG Instituto Biopesca, que fez o exame, disse que este tipo de ocorrência está cada vez mais frequente.
 
As vítimas da poluição não são só toninhas, mas aves e tartarugas marinhas e peixes de todos os tamanhos estão sendo ‘atacados’ pelos plásticos que nós, seres humanos, jogamos no mar.
 
A boa notícia é que alguma ação está sendo tomada: no início de novembro os vereadores de São Sebastião aprovaram uma lei que vai banir o canudo de plástico do município. São Sebastião se juntará a outras cidades do Litoral Norte de São Paulo neste esforço.
 
A primeitartaruga plasticora cidade a banir o canudo de plástico foi Ilhabela e, hoje, Caraguatatuba e Ubatuba também não permitem a fabricação, distribuição e comercialização do canudinho. Em São Sebastião, os comerciantes terão até maio para se adaptar ou vão levar uma pesada multa. Será permitido o uso de canudo – e sua embalagem – de papel ou de material biodegradável.
 
Mas por que o canudinho?
 
São várias as razões, mas a principal é que o canudinho é um item pequeno de mais para se controlar e garantir que seja reciclado, junto, é claro, com sua embalagem plástica. Não só ele não é coletado pelos recicladores por não ter valor econômico – nunca terão peso suficiente para ser vendido – mas também é frequentemente feito de um plástico que não é facilmente reciclado, o polipropileno tipo 5. Os recicladores preferem outros plásticos mais densos ou pesados.
 
A justificativa de um projeto de lei federal para proibir o canudo plástico no Brasil inteiro mostra que no mundo se reciclou apenas 9% de todas a 8,3 bilhões de toneladas de plástico que foi produzida no mundo desde 1950 – quando seu uso se popularizou -, 12% foi incinerado e o resto, 79%, está enterrado em aterros ou descartado no meio ambiente, inclusive no mar.
 
Agora, se você pensar bem, tampas, lacres, copinhos de café, sacolinhas e a maioria das embalagens são leves de mais para serem coletados e reciclados. No litoral, é muito fácil o vento levar o seu canudo ou seu copo de plástico que acaba no mar. É uma ligação direta: você tem a responsabilidade de garantir isso não aconteça.
 
7_pl540_mar-lixo1 Quase todos já viram as imagens do mar de plásticos que acumulam no oceano. Sãs enormes ‘ilhas’ flutuantes de plástico que se juntam por causa das correntes marítimas e vários lugares do planeta. Estes são os que vemos na superfície. Canudos, cotonetes, tampinhas e sacos ficam também flutuando dentro da água e os animais se confundem o plástico com alimentos pois se movem.
 
Basta banir apenas o canudinho? Claro que não, é preciso fazer uma avaliação toda a vez que nos depararmos com um produto plástico descartável.
 
Pense apenas nisso: plástico é muito valioso para ser descartado assim após meros minutos de uso. No fundo, estamos falando de um produto que não se degrada facilmente (é resistente), maleável e impermeável. Ele tem muitos usos para o ser humano, mas estes usos tem que fazer o plástico durar o máximo de tempo possível e em peças maiores para viabilizar a sua reciclagem – a famosa logística reversa pela qual o que é consumido volta para indústria para ser reutilizado.
 
Se não valorizarmos o plástico, não vamos valorizar a natureza, que é muito mais valiosa.
 
mar de plastico Além do fato de que o plástico vem do petróleo, que é extraído do fundo da terra ou do mar a um custo alto de mais para depois ser jogado fora.
 
Quer um exemplo? Hoje, mais da metade de um carro é feito de plástico: do para-choque ao botão do aparelho de som. Este é um bom uso: no final de vários anos, a peça de plástico pode ser derretida e usada novo e não se perderá no meio ambiente.
 
Lembre-se destas informações e tenha um descanso consciente.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © Pousada Sol do Araça 2018.


Entre em contato: contato@soldoaraca.com.br. WhatsApp: +55 (11) 96617-3116

Participe de nossas redes sociais